26 de maio de 2014

11:50

Razões para comer em casa

Razões para comer em casa

À primeira vista, comer fora de casa parece ser vantajoso. Não precisa lavar louça, perder tempo cortando e preparando os ingredientes e é possível experimentar novos sabores.

Mas prepare-se para conhecer motivos que vão te fazer pensar duas vezes antes de sair para uma refeição. Você vai ver, no fim das contas, que a prática de comer em casa é mais positiva para o dia a dia.

O que você gosta de comer? Descubra receitas que você adora saborear e planeje um rodízio entre elas. Porém procure fugir dos congelados. Existem muitos livros de receitas rápidas e até diversos sites que divulgam ótimos preparos com ingredientes fresquinhos.

A não ser que a data seja especial, procure fazer "obras culinárias" simples. Quanto mais fácil, menos estressante será para você. Se quiser algo diferente na rotina, experimente um tempero novo!

Em casa, ao contrário de um restaurante, você tem a vantagem de controlar tudo o que come, permitindo refeições mais saudáveis. Outro ponto é que ao invés de comer o prato inteiro por causa da obrigação de pagar a conta, comendo em casa você pondera as porções e ainda pode congelar o que sobrou para a semana.

A qualidade de alimentos quando se come fora é outro fator negativo. Quantas vezes não vemos a vigilância sanitária aplicar multas em restaurantes por conta de alimentos vencidos, por exemplo? Fora que a qualidade dos ingredientes em casa é você quem manda!

Por último, a razão que favorece o bolso. Comer fora vez ou outra não é nada mal. Só tome cuidado para que a prática esporádica não se torne parte da sua rotina. Gastar sempre com pratos caros, gorjeta e taxas de serviço pode te atrapalhar no fim do mês.

Note bem, não estamos dizendo para as mulheres não saírem da cozinha e se tornarem rainhas do fogão. Muito pelo contrário. A prática de cozinhar em casa pode se tornar prazerosa ao convidar o namorado ou o marido para dividir as tarefas. Mais divertido ainda é chamar os filhos para junto da atividade! Torne o ato de comer em casa um momento de união.

Alessandra Vespa (MBPress)

19 de maio de 2014

15:38

Dieta para ganhar peso: evite calorias vazias e invista em gorduras boas

Enquanto algumas pessoas têm dificuldade para emagrecer outras encontram problemas na hora de engordar. As causas para essa dificuldade podem ser tanto físicas quanto psicológicas.

Algumas medidas podem ajudar no ganho de peso. Conversamos com especialistas e listamos as principais razões para não ganhar peso e o que pode ser feito a fim de engordar de maneira saudável.  


Alguns motivos  físicos fazem a pessoa não engordar - Foto: Getty Images

Por que continuo emagrecendo? - Motivos físicos

Há diversos motivos físicos que explicam por que algumas pessoas são muito magras e tem dificuldade em engordar. Um deles é a genética, quando o paciente conta com a queima calórica muito intensa.

Doenças também podem ser a causa dessa dificuldade de ganhar peso, é o caso do hipertireoidismo, problema no qual a glândula da tireoide produz hormônio em excesso. Em situações assim, o indivíduo come mais e mesmo assim emagrece. Diversos tipos de câncer podem levar a esta dificuldade, especialmente aqueles que atingem o tubo digestivo.

A falta de oferta calórica, ou seja, comer pouco, leva ao emagrecimento. O excesso de atividades físicas é outro fator que pode fazer com que a pessoa tenha dificuldade em engordar, já que ela gasta mais do que come. 

Fumar cigarros e consumir algumas drogas, especialmente as que deixam a pessoa mais alerta, como a cocaína, também pode dificultar o ganho de peso.
 

Alguns problemas psicológicos podem fazer a pessoa não engordar - Foto: Getty Images

Por que continuo emagrecendo - Motivos psicológicos

Algumas doenças psiquiátricas podem ser a causa da dificuldade para engordar. Porém, as questões psiquiátricas só podem ser pensadas depois de excluídas as questões físicas.

Alguns quadros de adoecimento mental mais graves estão associados a dificuldade ou a recusa em comer. É o caso clássico da anorexia nervosa em que os portadores recusam a alimentação apesar de sentirem fome, porque de forma doentia percebem o próprio corpo exageradamente aumentado.

Outra condição que pode levar a dificuldade em engordar é a depressão. Um dos sintomas é a redução do apetite parcial ou quase completa a ponto de não se comerem por terem perdido a vontade da alimentação da mesma maneira que perderam interesse pela vida, relacionamento, etc.

A esquizofrenia também pode causar problemas no ganho de peso, pois o indivíduo pode ter um tipo de delírio em que tem certeza que os alimentos ou a água estão contaminados e dessa forma se recusa a comer, é o chamado delírio de envenenamento.

O Transtorno Obsessivo Compulsivo pode ser um obstáculo para engordar, pois o paciente gasta um tempo exagerado apenas para organizar o alimento de uma maneira que entenda estar adequada.
 

Saiba como comer para engordar corretamente - Foto: Getty Images

Qual a alimentação ideal para engordar?

Estar magro não é um passe livre para comer o que bem entender. A pessoa pode ganhar peso, mas se desnutrir. Afinal, as pessoas magras também podem ter problemas de saúde. Não adianta consumir mais alimentos indiscriminadamente: as pessoas magras também podem ter altos níveis de colesterol. Tenha uma dieta que forneça nutrientes apropriados para promover o ganho de peso saudável. 

Assim, evite os alimentos ricos em açúcar refinado, carboidratos simples, que em excesso podem favorecer a resistência à insulina que por sua vez pode se tornar diabetes tipo 2. As gorduras trans, presente em alguns alimentos industrializados e frituras, e a gordura saturada, encontrada principalmente em alimentos de origem animal como a carne vermelha, também devem ser evitadas, pois favorecem o aumento do colesterol, entre outras complicações.

Alguns alimentos termogênicos também podem ter o consumo restringido, como a cafeína, presente no café e no chá verde, a pimenta e o chá de hibisco. Estes alimentos aceleram o gasto calórico e favorecem o emagrecimento. 
 

Saiba quais alimentos ajudam a engordar com saúde - Foto: Getty Images

O que comer

Invista em alimentos calóricos, mas nutritivos. É o caso do azeite extravirgem que é rico em gorduras boas, as monoinsaturadas, e assim ajuda a regular o colesterol, protege o coração e o cérebro, previne o diabetes, entre outros benefícios.

Invista em oleaginosas, como as castanhas e nozes, e em peixes, pois eles são fontes de boas gorduras. O abacate também é bom por ser rico em gorduras monoinsaturadas e bem calórico.

Procure adicionar granola, entre outros cereais, farinhas enriquecidas e até o açúcar mascavo em alguns alimentos. Outra dica é incluir gema de ovo cozida amassada no feijão, purê, sopa, entre outros.

Opte pelas carnes magras. O consumo de proteínas, carnes magras e leguminosas também é importante, porém é preciso certificar-se que não está havendo uma ingestão excessiva que possa sobrecarregar os rins e o fígado. Mastigar bem os alimentos contribui para que o organismo absorva melhor os nutrientes.  

Equilibre o consumo de carboidratos simples, como o pão branco, arroz comum, entre outros, e complexos, como arroz e pão integrais. Isto porque as fibras presentes nos integrais proporcionam saciedade. Porém, elas também melhoram o trânsito intestinal, entre outros benefícios e não devem ser excluídas do cardápio.
 

Saiba o quanto comer para engordar com saúde - Foto: Getty Images

O quanto comer

Assim como para emagrecer é preciso diminuir o consumo de calorias, para engordar é preciso aumentar a ingestão calórica. É importante buscar a ajuda de um médico nutrólogo ou de uma nutricionista a fim de saber o quanto a mais de calorias deve ser consumido para o ganho de peso saudável. Isto vai depender do peso atual, altura e nível de atividade física. Calculamos o quanto a pessoa precisa comer para manter o peso e a partir disso estimamos o quanto precisa ingerir a mais para engordar ou a menos, caso queira emagrecer.

Lembre-se de evitar as calorias vazias, como os refrigerantes, fast-foods, alimentos industrializados e doces que são pobres em vitaminas e sais minerais.

Apenas as quantidades mudam, as proporções de cada macronutriente continuam as mesmas. Portanto, continua sendo orientado ter a refeição composta por: 50 a 55% de carboidratos, 15 a 20% de proteínas e 25 a 30% de gorduras, sendo 7% gorduras saturadas, 10% gorduras poli-insaturadas e 13% monoinsaturadas. 
 

É preciso cuidado ao consumir suplementos para engordar - Foto: Getty Images

Suplementos

É preciso tomar cuidado ao ingerir os suplementos como os shakes hipercalóricos. Eles só podem ser ingeridos após a orientação de uma nutricionista. A melhor maneira de ganhar peso é por meio de mudanças na alimentação, porém em certas situações os suplementos podem ser recomendados. Para evitar que algumas pessoas que precisam ingerir muitas calorias desenvolvam o hábito de comer grandes volumes de comida, o suplemento pode ser uma opção, pois oferecerá maior densidade energética, mas menos volume. 

Confira dicas para abrir o apetite - Foto: Getty Images

Dicas para abrir o apetite

Uma boa estratégia para abrir o apetite é começar pelos alimentos líquidos: vitaminas batidas com leite ou sucos podem ser combinados com diferentes frutas e acrescidos de iogurte. Lembre-se de comer a cada duas ou três horas. A apresentação das refeições é muito importante para abrir o apetite: pratos atraentes, saborosos e variados aguçam o paladar. Utilize temperos e ervas para melhorar o sabor e aroma dos alimentos. Um medicamento também pode ser receitado pelo médico para aumentar o apetite. 

Musculação ajuda a ganhar peso - Foto: Getty Images

Exercícios certos para ganhar peso

Os exercícios são grandes aliados de quem quer ganhar peso. A musculação com a orientação de um educador físico é a melhor opção, pois irá proporcionar o ganho de massa muscular.

Evite atividades aeróbicas, como a caminhada, corrida, dança, entre outros, por um longo período de tempo.Toda a atividade de longa duração, mesmo que seja leve, faz com que o corpo utilize a reserva de gordura.

As atividades físicas corretas ainda podem ajudar de outra maneira. Elas contribuem porque abrem o apetite de quem não tem fome;

Veja se é preciso ganhar músculos ou gorduras - Foto: Getty Images

É preciso ganhar músculos ou gorduras?

O mais recomendado é que a pessoa ganhe peso por meio de massa muscular. Porém, em alguns casos pode ser necessário acumular também mais gordura. Existe um risco de ter menos de 10% de gordura no corpo, pois ela cumpre funções fisiológicas, estoca vitaminas lipossolúveis, como as A e K, e produz hormônios.

Por outro lado, algumas pessoas podem ser magras e mesmo assim apresentaram altas taxas de gordura. Há pessoas muito magras que têm alto percentual de tecido gorduroso, em função do sedentarismo, hábitos alimentares incorretos e longos intervalos de tempo sem se alimentar.

Saiba que as mulheres têm mais tendência a engordar por conterem maior quantidade de gordura entre as fibras musculares que os homens. Por outro lado, os homens tem mais tendência a ganhar massa muscular. Eles contam com concentrações hormonais superiores às das mulheres e isso faz com que o ganho muscular seja proporcional a esta concentração.
 

Saiba como manter o peso - Foto: Getty Images

Como manter o peso

Após alcançar o peso ideal é preciso tomar cuidado para não perdê-lo ou engordar demais. Por isso, com a ajuda do nutrólogo ou nutricionista é preciso fazer outro cálculo de quantas calorias devem ser ingeridas.

Mantenha a disciplina com os novos hábitos da dieta. Nunca pule horários das refeições e siga as porções conforme o plano alimentar.

Pode ser uma boa estratégia adotar o seguinte planejamento: faça supermercado toda a semana, com uma lista para evitar a compra de alimentos desnecessários. Crie um cardápio para os próximos sete dias e faça compras pensando nele. Mantenha um horário fixo para fazer exercício e um diário dos padrões de alimentação e atividade física. Escreva não somente o que come, mas onde, quando e o que sentiu no momento. Assim dá para analisar o que gerou a fome e o que satisfez o seu apetite. Isso vai ajudar a pessoa a perceber se está passando muito tempo sem comer, se não está sentindo fome ou se alguma situação fez ela perder a vontade de comer.
 

16 de maio de 2014

08:14

Gordura localizada é reduzida com consumo de cinco alimentos


A briga para diminuir a gordura localizada é constante. Além da prática regular de exercícios físicos e do equilíbrio ao montar a refeição, cinco alimentos facilmente encontrados no supermercado mostram-se verdadeiros aliados na guerra contra a gordura localizada, devido à metabolização assertiva.

Além de causar incômodo estético, o pneuzinho pode significar um fator de risco para a saúde, afinal, um grande tecido adiposo ocasiona problemas hormonais, respiratórios e provoca baixa autoestima. O grande consumo de carboidratos de alto índice glicêmico como pães, tortas, doces, salgados, produtos feitos com farinha branca, é o principal vilão da boa forma. Para evitar esse quadro, confira, a seguir, alimentos que merecem fazer parte do seu prato a partir de agora.



Aveia 
O cereal possui fibras solúveis, que são responsáveis pela captação de açúcar e colesterol, não os deixando serem absolvidos pelo organismo. Além disso, a aveia atua no trânsito intestinal e prolonga a sensação de saciedade. Receita rápida e prática, o "mingau de aveia sem lactose fast" é uma boa pedida no café da manhã.

Modo de preparo
Cozinhe duas colheres (de sopa) de aveia em flocos com 200 ml de água, uma colher (de sobremesa) de cacau e um sachê de adoçante para uso culinário, de preferência estévia. Em seguida, coloque em uma taça, acrescente uma banana prata picada por cima e sirva.

Banana
Conhecida como a fruta do bom humor, a banana é capaz de matar a fome rapidamente, o que facilita enxugar a silhueta. Para completar, contém enzimas que aceleram a digestão e fibras solúveis, favorecendo uma rápida perda de peso.

Oleaginosas
Sementes comestíveis, as oleaginosas como amêndoa, avelã, castanha de caju, castanha-do-pará, macadâmia e nozes, funcionam bem como lanchinho.

Em um potinho, misture uma unidade de castanha-do-pará, três castanhas de caju, duas unidades de damasco e, por último, duas unidades ameixa seca. Tampe bem e carregue dentro da bolsa para comer nos intervalos. Essa opção é indicada para quem vai esticar no trabalho ou chegar mais tarde em casa e não acabar devorando tudo o que vê pela frente.

Canela
A especiaria que possui cromo e vanádio atua no controle de diabetes e ajuda a controlar a compulsão por doces, alimentos que integram o grupo de carboidratos com alto índice glicêmico, conhecido como vilão da boa forma.

Salsinha
O tempero é considerado uma fonte de magnésio, elemento responsável pela contração muscular durante atividades diárias como trabalhar, caminhar e praticar atividades físicas. A salsinha também elimina líquidos do corpo, além de trazer frescor às refeições. Sua utilização deve ser sempre no final das preparações com o fogo desligado, para manter as propriedades ativas.

2 de maio de 2014

13:14

Banana tem alta propriedade nutricional, é prática e versátil





 

Comum no cardápio do brasileiro, a banana é uma fruta originária da Ásia e possui grande quantidade de fibras: em média duas gramas para cada 100 gramas de polpa. A banana-da-terra é o tipo com maior valor energético. Já a banana-maçã é a menos calórica.


Divulgação


Os tipos mais consumidos de banana são a banana-maçã, nanica, ouro, prata e da terra. De uma forma geral, elas são parecidas em sua composição nutricional, com pequenas alterações como o valor calórico. A banana-da-terra é a mais calórica (128 Kcal em 100 g do alimento), enquanto a banana-maçã é a com menor valor energético (87 Kcal em 100 g do alimento). Além disso, outra característica é a quantidade de fibras encontrada na fruta: Em média, a cada 100 g de fruta temos 2 gramas de fibra.

A população brasileira consome poucas frutas, em geral. Isso caracteriza um fator de risco para o desenvolvimento de doenças crônicas como as doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e obesidade. Nesse sentido, a banana seria uma alternativa para o problema, já que é fácil de consumir e muito versátil, além de saborosa.

Outro benefício da fruta, um dos mais falados, é sua eficácia contra câimbras. Quando se pratica atividade física ocorrem perdas de sódio, cloreto e potássio pela transpiração. O potássio auxilia na contração muscular e a carência deste mineral pode provocar o surgimento de câimbras. Nessa situação, a banana pode ser uma boa alternativa de alimento para consumir antes do exercício ou durante os exercícios mais longos.

Quanto ao preparo, a banana assada com canela pode ser consumida como sobremesa. Além disso, essa fruta pode compor bolos, vitaminas, farofas, saladas de fruta ou combinar com cereais no café da manhã ou lanches.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *