26 de novembro de 2014

12:31

10 doenças ligadas à obesidade


http://ecos-redenutri.bvs.br/article_image.php?image_type=article&id=624

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), desde 1980, os níveis de obesidade no mundo duplicaram. Em 2008, 1,4 bilhões de adultos acima de 20 anos estavam acima do peso, sendo que desses, 200 milhões de homens e 300 milhões de mulheres eram obesos.

E os dados são ainda mais alarmantes, pois 65%¨da população mundial vive em países onde o sobrepeso e a obesidade matam mais do que condições relacionadas com o baixo peso. Ainda temos o fato que 40 milhões de crianças abaixo da idade de 5 anos estavam com sobrepeso em 2011.

Veja os 10 principais problemas de saúde que a obesidade pode causar:

obesidade e os seus malefícios

Os fatos concretos são os malefícios que a obesidade causa, veja os 10 principais problemas de saúde que a obesidade pode causar.

  1. Pressão alta: A hipertensão arterial é a causa primária de morte na população norte americana acima de 25 anos. Milhões de pessoas sofrem deste mal, que também é um fator de risco para doenças do coração. A pressão arterial tende a aumentar com o ganho de peso e a idade. Quem está acima do peso e tem pressão alta, com uma perda de peso em torno de 4 quilos, pode surpreender-se com o retorno da pressão arterial a níveis seguros.
  2. Diabetes: A obesidade é considerada como um dos fatores mais significativos para o desenvolvimento de resistência à insulina, que acaba levando ao diabetes do tipo 2. De acordo com a OMS, mais de 90% dos diabéticos no mundo tem esse tipo da doença. Estar acima do peso ou obeso contribui para o diabetes por tornar as células mais resistentes aos efeitos da insulina. Uma perda de peso de 7 a 9 quilos ajuda muito a diminuir este risco.
  3. Doenças do coração: Obesidade é um fator importante de risco para desenvolvimento de doença coronariana, que pode levar a um ataque cardíaco. Quem está acima do peso tem risco aumentado de sofrer um ataque cardíaco antes dos 45 anos. Adolescentes obesos têm uma chance maior de ter um ataque cardíaco antes dos 35 anos do que adolescentes não obesos. Assim como no caso do diabetes, perder 7 a 9 quilos ajuda a reduzir o risco de doenças do coração. E exercitar-se regularmente reduz ainda mais este risco.
  4. Colesterol elevado: É uma das principais causas de ataques cardíacos. O tipo de colesterol que está envolvido no aumento deste risco é o LDL. Quando seus níveis aumentam, o risco de doenças coronarianas sobe 20%. E, novamente, perder peso ajuda a jogar estes níveis de LDL para baixo.
  5. Câncer: Estar acima do peso aumenta as chances de desenvolver inúmeros tipos de câncer em 50%. Mulheres obesas, por exemplo, têm risco aumentado de câncer de endométrio. 
  6. Infertilidade: Estar obeso pode causar mudanças nos níveis hormonais das mulheres, que podem resultar em insuficiência ovariana. Mulheres acima do peso estão em risco mais elevado de ter problemas de infertidade, assim como câncer de ovário. Nosso organismo deve estar em um peso adequado para produzir a quantidade certa de hormônios e regular a ovulação e menstruação. E não pense que homens são imunes à infertilidade, pois homens obesos têm chance maior de desenvolver problemas de mobilidade e baixa contagem espermática.
  7. Dor lombar: A obesidade é um dos fatores que mais contribuem para dores lombares e articulares. O peso excessivo pode causar lesões nas partes mais vulneráveis da coluna, que carregam o peso corporal. Quando essas partes precisam sustentar o peso excessivo, as chances de ter uma lesão espinhal ou dano estrutural aumentam. Estar acima do peso também aumenta o risco de desenvolver osteoporose, dor lombar, artrite e osteoartrose.
  8. Infecções de pele: Obesos e indivíduos acima do peso podem ter dobras na pele. Essas dobras podem ficar irritadas pelo atrito e suor, o que em última análise leva a infecções de pele.
  9. Úlceras: De acordo com estudo do National Institute of Health (NIH), a obesidade pode ser um fator contribuinte para o desenvolvimento de úlceras gástricas. Estas ocorrem quando existe um desequilíbrio no estômago, com predomínio do conteúdo ácido secretado. O risco é maior no caso dos homens.
  10. Pedras na vesícula biliar: Estar muito acima do peso aumenta o risco de desenvolver pedras na vesícula, especialmente nas mulheres. Elas ocorrem quando o fígado elimina uma quantidade elevada de bile, a qual é armazenada na vesícula biliar. A bile tem a função de ajudar a dissolver as gorduras, e uma dieta rica em gorduras aumenta a sua produção. As pedras na vesícula são mais comuns em mulheres mais velhas, e com história familiar da doença.

Como vimos, não são poucos os problemas de saúde que podem estar associados a obesidade.

Vamos nos cuidar?

20 de novembro de 2014

10:45

Confira alimentos que diminuem o risco de câncer de próstata


O câncer de próstata é o segundo mais comum no Brasil, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma.

A estimativa apresenta 68.800 novos casos da doença este ano, segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer). Alimentos com poder antioxidantes e de cor avermelhada ajudam na prevenção da doença, que atinge os homens de maneira silenciosa e lenta. O tumor pode levar 15 anos para atingir 1 cm³.

Alimentos a base de licopeno, pigmento avermelhado presentes em vegetais e frutas como pimentão vermelho, tomate, melancia, rabanete e também a jabuticaba, além dos que contém selênio - mineral com um alto poder antioxidante - colaboram para a prevenção do câncer de próstata. Em contrapartida, dietas ricas em cálcio aumentam a incidência da doença. A próstata está localizada abaixo da bexiga e à frente do reto, sendo responsável, também, por parte da produção do sêmem.

O diagnóstico do câncer de próstata pode ser realizado por meio do toque retal e exame de sangue PSA, que é a dosagem no sangue do antígeno prostático específico, além da biópsia. A doença costuma ocorrer a partir dos 65 anos de idade. A hereditariedade é fator de predisposição para a doença, além da obesidade, e quanto mais cedo a doença for detectada, mais fácil será o tratamento, já que a enfermidade pode se espalhar em outros órgãos.

Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral e da Sociedade Brasileira de Cancerologia, Dr. Robson Moura, hábitos saudáveis continuam sendo maneiras de prevenção do câncer. "Evitar o tabagismo, dieta equilibrada, prática de atividades físicas, além de consultas anuais, a partir dos 45 anos, a fim de avaliar a saúde da próstata são medidas que certamente podem ajudar na prevenção deste câncer", aconselha o Dr. Robson Moura.

Os homens não estão habituados a se cuidar, além do preconceito de alguns, em realizar o exame de toque retal. O propósito da campanha mundial novembro azul é uma maneira de conscientizar a população masculina da importância dos cuidados com a saúde do público masculino.

Alimentos que contribuem para a prevenção do câncer de próstata:

Castanha do Pará


Reprodução


Brócolis

Reprodução


Cogumelo


Reprodução


Salmão

Reprodução


Tomate

Reprodução


Melancia

Reprodução
Reprodução

13 de novembro de 2014

15:49

Como o Whey Protein pode beneficiar a sua saúde


Apesar de esse produto ter se tornado popular entre os marombeiros, engana-se quem pensa que se trata de um item sintético ou cheio de hormônios. Na verdade, o whey é a proteína do soro do leite, um elemento proveniente da indústria de laticínios. Só que, antigamente, ele era jogado no esgoto pelas grandes fábricas..

Seu destino mudou quando algo curioso foi observado: bactérias e fungos se multiplicavam ao entrar em contato com ele. Aí seu potencial nutritivo foi descoberto. Ele reúne proteínas de alto valor biológico. Em outras palavras, contém todos os aminoácidos - as moléculas constituintes das proteínas - de que o nosso organismo necessita mas é incapaz de fabricar. Pra melhorar, no whey eles vêm aos montes, respondendo por 35 a 90% de sua composição. No leite, esse índice não passa de 20%.

Benefício extra

Recorrer ao suplemento também é uma boa pedida para acelerar a recuperação de bíceps, tríceps e companhia. Além da leucina, um aminoácido do whey capaz de contribuir bastante nessa empreitada é a arginina, que aumenta o fluxo de sangue pelo corpo. Com isso, mais nutrientes e oxigênio desembarcam na musculatura para repará-la. Em última instância, os incômodos que surgem após a ginástica desaparecem depressa e há uma maior disposição para voltar a se exercitar no dia seguinte.

Até por isso faz mais sentido utilizar o produto no pós-treino. Inclusive, quanto menor o tempo entre o término das atividades físicas e a ingestão proteica, melhor será a resposta em termos de ganho muscular. Esse período é conhecido como janela de oportunidade. Geralmente, 20 gramas de whey logo em seguida à malhação dão conta do recado.

O exagero no consumo de proteínas (isso inclui a do whey) pode afetar rins e fígados já fragilizados. Em indivíduos saudáveis, essa ameaça ainda é apurada - mas não há por que abusar.

A regrinha básica é nunca comer mais do que 2 gramas de proteínas por quilo de peso. Colocando na ponta do lápis, um homem de 75 quilos e uma mulher de 60 não deveriam ingerir mais de 150 e 120 gramas desse nutriente ao dia, respectivamente. É importante lembrar que o limite vale para pessoas ativas. Quem não se mexe tanto poderia parar em 1 grama por quilo de peso. Perceba: estamos falando de proteínas, e não somente de whey. Em outras palavras, ele deve ser somado às demais fontes de proteína, como carnes, leguminosas e lácteos.

Os tipos de whey

Concentrado
Tem de 35 a 80% de proteína. Quanto mais alto o valor, menor a presença de lactose, gorduras e minerais.

Isolado
Mais puro, reúne cerca de 90% de proteína, com resquícios mínimos dos demais compostos do soro do leite.

Hidrolisado
Costuma concentrar 80% de proteínas. A vantagem: elas estão quebradas em pequenos pedaços, os peptídeos. Logo, digestão e absorção são facilitadas.

3 de novembro de 2014

16:24

Dicas básicas e práticas para perder peso


Dicas básicas e práticas para perder peso

Não é segredo que o excesso de peso e a obesidade se tornaram um grave problema de saúde pública em muitos países.Por exemplo, nos Estados Unidos, a obesidade é considerada uma epidemia que causa cerca de 400 mil mortes por ano e custa à economia mais de US$ 123 bilhões.

Mas o que podemos fazer para resolver o problema? Confira algumas dicas básicas e práticas para perder os quilos extras.

A primeira coisa é entender que o excesso de peso e a obesidade decorrem do consumo excessivo de calorias. Em média, o corpo necessita de 2.000 calorias por dia para realizar suas funções básicas.

1. Leia atentamente os rótulos com as informações nutricionais de cada produto e escolha os que contiverem a menor quantidade de calorias por porção.

2. Tente consumir produtos com baixo teor de gorduras saturadas, carboidratos e açúcar, mas ricos em proteínas.

3. É recomendável mastigar ao menos dez vezes cada porção e comer devagar para acelerar a sensação de saciedade.

4. Não é aconselhável passar longos períodos de tempo sem se alimentar. Recomenda-se comer pelo menos 5 vezes por dia, mas porções pequenas que não excedam o total de calorias diárias recomendadas pelo nutricionista. Isso ajuda a acelerar o metabolismo e a queimar gordura mais rapidamente.

5. Pratique atividades físicas pelo menos quatro vezes por semana por pelo menos 30 minutos. Antes de iniciar um programa de exercícios, consulte seu médico para saber qual é o exercício mais indicado para seu estado de saúde e condição física.

6. Coma alimentos com baixo teor de sódio para limitar a ingestão de sal. Cerca de 70% do nosso peso corporal é composto por água, e consumir alimentos ricos em sódio aumenta a retenção de líquidos.

7. Tome de 2,5 a 3 litros de água por dia e limite o consumo de refrigerantes e doces. Ela também ajuda a eliminar as toxinas do corpo.

8. Consuma frutas, de preferência cruas e frescas, com o estômago vazio, sem combiná-las com outros alimentos. Espere de 20 a 30 minutos antes de comer outro tipo de alimento.

9. Evite ao máximo consumir alimentos antes de dormir, sobretudo os ricos em gorduras, carboidratos e açúcares.

Lembre-se de que o corpo é uma máquina perfeita e não necessita de grandes quantidades de alimento para funcionar.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *