Nutrição Infantil no Esporte

Nutrição Infantil no Esporte

 Nutrição para Corredores: Saiba como compor sua alimentação - Guia da  Corrida de Rua

A nutrição desportiva é um acompanhamento profissional para maratonistas e esportistas de diversas modalidades. São planejados sugestões e cardápios para uma alimentação equilibrada e saudável, de acordo com o perfil de cada pessoa.

Neste tipo de atendimento, muitos conhecimentos são usados para que o maratonista tenha o melhor resultado nas atividades, desde estratégias de recuperação física, bem como a melhor alimentação durante o treino, inclusive.


A importância da nutrição durante todo o ciclo vital é notável, sendo que na infância, além da sobrevivência, a nutrição adequada é indispensável para o crescimento e desenvolvimento. A nutrição constitui o alicerce para o desempenho físico, sendo muito importante para a saúde geral do praticante de exercício físico, em qualquer faixa-etária. No caso de crianças praticantes de esportes, é necessária atenção especial em relação à adequação do consumo de alimentos e nutrientes

As necessidades de energia de crianças praticantes de atividade física devem ser baseadas na ingestão alimentar diária, índice de crescimento, idade e atividade física. O treinamento esportivo contribui para o aumento da necessidade energética.


As crianças necessitam de uma maior quantidade de energia que aquela necessária para um adolescente ou para um adulto durante a prática de atividades esportivas.

A ingestão energética inadequada está associada à ingestão marginal de macro e micronutrientes, principalmente de carboidratos, piridoxina, cálcio, folato, zinco e magnésio. Tal associação tem consequências prejudiciais sobre o crescimento, tais como o aumento do risco de aparecimento de doenças e a diminuição da taxa metabólica.

Existem vários métodos para estimar o valor energético da dieta de crianças, como os que serão descritos neste artigo, no entanto, alguns conceitos devem ser inicialmente definidos:

Gasto Energético Basal (GEB): O gasto energético basal (GEB) é o valor energético que as crianças necessitam apenas para ficar deitadas, sem realizar qualquer tipo de movimento ou atividades físicas;

Gasto Energético Total (GET): compreende o GEB mais as atividades diárias das crianças;

Valor energético Total (VET): é o valor energético necessário ao indivíduo, que já compreende o GEB e o GET.

Macronutrientes

    As fontes de energia devem estar equilibradas entre carboidratos, lipídios e proteínas. Recomenda-se para crianças e adolescentes fisicamente ativos uma dieta adequada em lipídios (20-25% do VCT), rica em carboidratos (60-70% do VCT), com quantidade equilibrada de proteínas (10-15% do VCT) e variando qualitativamente para alcançar as recomendações de micronutriente

Micronutrientes

É recomendado que todas as necessidades de micronutrientes sejam atingidas com uma dieta quali-quantitativamente adequada que supra a demanda energética do treinamento. Deve-se dar atenção especial para o ferro e o cálcio.

O ferro é indispensável para a prática de atividade física, pois além de exercer as funções de transporte de oxigênio no sangue e no músculo, faz parte de diversas enzimas relacionadas aos processos oxidativos e à proliferação celular. O baixo consumo de ferro pode prejudicar a capacidade de transporte do oxigênio, diminuindo o desempenho e interferindo no treinamento, podendo em longo prazo, ocasionar a anemia ferropriva.

Hidratação

A produção de energia pelo organismo aumenta durante os exercícios devido à maior produção de calor metabólico. As crianças produzem mais calor por unidade de peso corporal que os adultos. Sabe-se que a evaporação do suor é a principal via para dissipar o calor produzido pelo organismo.

Sempre que líquidos forem perdidos através do suor mais rapidamente do que são repostos, a pessoa entrará em desidratação. As crianças podem evitar a desidratação ao ingerirem líquidos a cada 15-20 minutos quando a atividade física for prolongada, mesmo que ela não tenha vontade de beber.

Competição

Para crianças que participam de competições é importante que seus estoques energéticos estejam adequados. Sugere-se que nos três dias anteriores à competição haja maior ingestão de alimentos ricos em carboidratos. No dia da competição a criança deve ser orientada a ingerir refeições ricas em carboidratos e com baixo teor de gordura, sem frituras ou molhos gordurosos. Os alimentos devem ser de fácil digestão e a última refeição deve acontecer de 2 a 4 horas antes do evento. Até 2 horas antes da competição, um lanche leve com carboidrato pode ser incluído (por exemplo: 1 sanduíche com pouco queijo e geléia ou banana com aveia).

A orientação nutricional às crianças fisicamente ativas representa um grande desafio, sendo necessário que o profissional possua parâmetros adequados para a avaliação da evolução do crescimento das crianças. A alimentação adequada é essencial para que a criança garanta seu potencial de crescimento e desenvolvimento e tenha seu desempenho maximizado durante a prática de atividades físicas.

Para finalizar, não posso deixar de indicar os mais diversos Cursos online de Nutrição  que a Quero Conteúdo oferece. Clique aqui e saiba mais!