9 de abril de 2014

Doença celíaca aumenta o risco de complicações coronarianas




Doença celíaca aumenta o risco de complicações coronarianas

Em comparação com a população em geral, portadores de doença celíaca apresentam quase duas vezes mais chances desenvolver a doença arterial coronariana, de acordo com um grande estudo apresentado no congresso do ACC (American College of Cardiology). Mesmo os pacientes com idade inferior a 65 anos apresentaram um risco maior.

A doença arterial coronariana é a principal causa do infarto do miocárdio (ataque cardíaco), e caracteriza-se pela formação de placas de gordura, chamadas de ateromas, nas artérias do coração (aterosclerose coronariana).

A doença celíaca tem origem autoimune. Essa patologia afeta o intestino delgado de adultos e crianças geneticamente predispostos, sendo precipitada pela ingestão de alimentos que contêm glúten. A doença causa atrofia da mucosa do intestino delgado, causando prejuízo na absorção dos nutrientes. Os sintomas podem incluir diarreia, dificuldades no crescimento e desenvolvimento (em crianças) e fadiga, embora possam estar ausentes em muitos indivíduos.

"Os médicos de cuidados primários, gastroenterologistas, cardiologistas e outros profissionais da saúde precisam estar atentos aos seus pacientes com doença celíaca, pois estes são mais propensos a desenvolver complicações coronarianas", disse um dos autores do estudo, o Dr. Rama Dilip Gajulapalli, pesquisador da Cleveland Clinic (Ohio, Estados Unidos).

O mecanismo possível para o aumento do risco pode estar relacionado com a inflamação crônica observada em celíacos. "As pessoas com doença celíaca apresentam uma inflamação persistente de baixo grau que pode acelerar o processo de aterosclerose coronariana. Nossos resultados reforçam a ideia de que a inflamação crônica, seja a partir de uma infecção ou doença crônica, podem acelerar o processo de aterosclerose coronariana", conclui o Dr. Gajulapalli.

Fonte: American College of Cardiology 2014 Scientific Sessions.

Comentários do Dr. Tufi Dippe Júnior - Cardiologista de Curitiba - CRM/PR 13700

Resultados semelhantes foram observados em portadores de outra doença inflamatória crônica, a artrite reumatoide. O colesterol é a "matéria-prima" para o desenvolvimento da aterosclerose, e  a inflamação crônica parece ser o "combustível". Parece razoável que adultos portadores de doença celíaca sejam avaliados quanto ao seu risco de desenvolver complicações coronarianas, como o infarto do miocárdio.



Comente:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *